Blog "Medicina Laboratorial para Médicos"

Dia Mundial do Cambate à Tuberculose: Novo exame laboratorial

Dia 24 de março temos o Dia Mundial de Combate à Tuberculose e muita gente deve se perguntar por que continuamos a ser lembrados desta doença, que matou a Dama das Camélias, Dom Pedro I e Noel Rosa.

O objetivo do Dia Mundial de Combate à Tuberculose é alertar a população sobre a doença, que, por ser tratável, poderia ter sido erradicada, mas continua causando mortes. Esta efeméride comemora-se no dia 24 de março, uma vez que nesta data, em 1882, Robert Koch anunciou a descoberta da causa da tuberculose – o bacilo TB – o que seria o início do diagnóstico e da cura da tuberculose.

Os bacilos que causam a tuberculose são espalhados quando uma pessoa infectada tosse ou espirra. A maioria das pessoas infectadas com a bactéria que causa a tuberculose não apresenta sintomas. Quando ocorrem, os sintomas geralmente incluem tosse por períodos superiores a quinze dias(às vezes, com sangue), perda de peso, sudorese noturna e febre.

A tuberculose (TB) continua sendo um grande problema de saúde pública em todo o mundo, com uma incidência estimada de 8,6 milhões de casos novos por ano. A maioria das pessoas que tem contato com o bacilo (Mycobacterium tuberculosis) apresenta uma infecção inicial. Esta infecção pode ser eliminada ou, com freqüência, apenas contida pelos sistemas de defesa do organismo ( a chamada infecção latente).

 A infecção latente pode permanecer sem sintomas nem sinais por muitos anos, ou pode progredir para uma infecção ativa (tuberculose doença - TB) sob condições propícias. A detecção de tuberculose infecção latente (TBIL) permite instituir o tratamento antes da doença manifesta, e esta é uma estratégia de controle da TB recomendadas pela Organização Mundial de Saúde.

 Há dois tipos de testes de triagem disponíveis, e pode ser usado um ou outro, a critério médico. O primeiro e mais antigo é o Teste Tuberculínico, também conhecido como PPD. Este teste é realizado por meio da injeção na pele de uma proteína derivada do bacilo. Pode dar resultados falsamente positivos em pessoas previamente vacinadas com bacilo de Calmette-Guérin (BCG) ou seja, a maior parte da população brasileira,  ou expostas a micobactérias não-tuberculosas. Podem ser encontrados resultados falsamente negativos em pacientes imunocomprometidos ou com tuberculose muito avançada. Uma desvantagem é a necessidade do comparecimento ao laboratório duas vezes, uma para a aplicação do PPD, com retorno em 48-72 horas após a administração para a leitura da reação na pele. Em nosso país raros laboratório privados ofertam atualmente o Teste Tuberculínico.

 O teste IGRA (teste da liberação de interferon-gama  ou Interferon Gama ReleaseAssay ) surgiu como uma alternativa ao tradicional Teste Tuberculínico (ou PPD) para a detecção da TBIL. O Teste IGRA é um teste laboratorial (in vitro) que avalia a resposta imune celular por meio da dosagem de interferon- gama  liberado pelas células do sangue (linfócitos T) a partir da sua estimulação por antígenos específicos de M. tuberculosis. O teste, contudo, não diferencia a Tuberculose Ativa (doença) da Tuberculose Latente (TBIL). Podem ser necessários mais exames antes da definição da melhor forma de tratamento (sempre indicado).

 Várias entidades internacionais, inclusive a OMS, recomendam atualmente que populações com maior risco de infecção pelo bacilo da Tuberculose sejam testadas para doença latente, ou seja, antes do aparecimento de sintomas evidentes, sempre que o tratamento eficaz puder ser disponibilizado.

Comentar

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Comentários

Nenhum comentário ainda.