A IMPORTÂNCIA DO DÍMERO D NO ACOMPANHAMENTO DA COVID-19

Tamanho da fonte:
Dimero D

Um exame de sangue comum nos laboratórios de análises clínicas pode ser hoje o principal marcador do processo de lesão decorrente da Covid-19: o “Dímero D”. Este é um marcador de coagulação sanguínea que pode se elevar desde o estágio inicial da doença, momento em que os sintomas não são severos e que outros marcadores, como a contagem de plaquetas, tempo de protrombina (PT) e tempo de tromboplastina parcial (PTT), ainda permanecem inalterados.

A identificação de alterações no Dímero D pode orientar a internação e o tratamento dos pacientes com anticoagulantes, a fim de evitar a trombose dos alvéolos. Isso porque o Dímero D é um produto formado no processo de degradação da fibrina (principal componente dos coágulos sanguíneos) e o aumento de sua concentração está altamente relacionada ao grau de severidade da Covid-19. Portanto, o exame deve ser feito logo que houver um resultado positivo no teste RT-PCR.

Esta alteração é chamada de Síndrome CAHA (Anormalidades Hemostáticas Associadas à COVID-19) e cerca de 70% dos casos não tratados evoluem para severidade. O processo inflamatório que envolve o endotélio vascular alveolar, mesmo nos estágios iniciais, pode desencadear a formação de coágulos pulmonares. Esses pequenos trombos podem não ser detectados facilmente nas tomografias computadorizadas, devido ao seu pequeno tamanho. Se não tratada, a inflamação intensa ou a tempestade de citocinas pode fazer com que a extensão dos trombos pulmonares se torne maior. Clinicamente pode se apresentar como agravamento da insuficiência respiratória e, radiologicamente, como defeitos de perfusão.

Tem-se falado muito sobre a COVID-19 e já é sabido que se trata de uma doença infecciosa do trato respiratório. O vírus SARS-CoV-2 causa inflamação pulmonar em todos os pacientes que progridem para a tempestade de citocinas nos casos mais graves. O processo inflamatório na camada mais fina que reveste os vasos sanguíneos alveolares desencadeia a ativação da coagulação com o conceito de imunotrombose bem estabelecido na literatura.

O Dímero D, por ser um marcador de hipercoagulabilidade disponível e de fácil acesso, pode se alterar logo no início da doença, e por isso tem se mostrado um importante exame para o acompanhamento da COVID-19.

Aqui no Laboratório Lustosa, realizamos o exame Dímero D com entrega de resultados no mesmo dia útil e você médico (a) pode contar conosco.


Fonte: Thachil, J. et al. A Proposal for Staging COVID-19 Coagulopathy. Doi: 10.1002/rth2.12372 


  • Compartilhar: