FLEXIBILIZAÇÃO DO JEJUM PARA A COLETA DO PERFIL LIPÍDICO

Tamanho da fonte:
Flexibilização do jejum

A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial divulgaram novas orientações (em anexo) que permitem a flexibilização da alimentação antes da coleta de amostra de sangue para a dosagem de Perfil Lipídico (Colesterol Total, HDL-c, LDL-c e Triglicerídeos). O jejum já era sabidamente desnecessário para a dosagem de Colesterol Total e do HDL-c e agora passa a ser facultativo para o Perfil Lipídico como um todo. Há evidências de que a hipertrigliceridemia no estado pós-prandial aumenta o risco cardiovascular e o exame laboratorial deveria refletir o estado metabólico habitual do paciente. 

12 horas de jejum já não são mais obrigatórias e os laboratórios poderão realizar a coleta do perfil lipídico independentemente do tempo que o paciente alimentou-se pela última vez, a critério médico. Para a maior parte dos pacientes, a flexibilização é bem-vinda e poderá inclusive permitir maior adesão ao controle laboratorial do tratamento. Mas existem algumas situações clínicas que se acompanham de elevações acentuadas dos triglicerídeos e, nestes casos, a observação do jejum é aconselhável. É ideal que o paciente receba a orientação quanto ao jejum do próprio solicitante

Dislipidemia e Diabetes

Algumas vezes o médico solicita a Glicemia em Jejum e o Perfil Lipídico no mesmo momento. Para a utilização da glicemia como critério diagnóstico do Diabetes o tempo de jejum preconizado ainda é de 8 horas. Vale ressaltar que o exame da hemoglobina glicada também pode ser critério diagnóstico para Diabetes e, neste caso, o jejum não é necessário.Para outros exames na mesma requisição, pode ser indicado jejum, a critério do laboratório.

Friedewald x Martin

Em 1972, William Friedewald publicou sua famosa fórmula, a qual permite a estimativa de LDL-c a partir da dosagem de Colesterol Total, HDL-c e da estimativa de VLDL-c. Existem várias evidências de que a fórmula de Friedewald, na qual os valores de LDL-c são subestimados a medida em que se elevam os valores de triglicerídeos. A nova diretriz propõe a substituição da Fórmula de Friedewald pela Fórmula de Martin, a qual usa divisores (que variam de 3,1 a 11,9) para a estimativa de VLDL-c. Para obter os divisores, são cruzados os valores de Colesterol Não-HDL e de Triglicerídeos ( na faixa de 7 mg/dL até 13.975 mg/dL).O Laboratório Lustosa já utiliza a Fórmula de Martin.

A interpretação do resultado do Perfil Lipídico do paciente deve ser feita pelo médico solicitante, avaliando a indicação do teste: para diagnóstico de dislipidemias, para estratificação de risco cardiovascular ou para monitoramento de tratamento. O ideal é que o paciente mantenha sua dieta e hábitos para a avaliação do seu perfil lipídico.


  • Compartilhar: